Pular para o conteúdo principal

Educação continuada: CRCSP atribuirá 18 pontos ao SGESP

                        Com temas relacionados à Contabilidade, Gestão e Finanças no Setor Público, 11º SGESP concederá até 18 pontos no Programa de EPC do CRCSP        

        Entre os dias 19 e 22 e de 26 a 28 de julho de 2022 acontece a 11ª edição do Seminário de Gestão Pública Fazendária (SGESP), evento online sobre temas das áreas de Contabilidade, Controladoria, Orçamento, Finanças e Tributação das entidades da administração pública. A participação é gratuita e concederá até 18 pontos no Programa de Educação Profissional Continuada (PEPC). 

        Os painéis acontecerão no formato virtual, sempre das 9h às 12h. Foram atribuídos três pontos para cada dia da programação, com exceção do dia da abertura, válidos para as categorias AUD, PROGP, Perito e PRORT. Veja a tabela no fim da matéria.

        O PEPC é regido pela Norma NBC PG 12 (R3) e seu cumprimento é obrigatório para os segmentos de atuação da contabilidade listados na norma, podendo ainda ser cumprido de forma voluntária por todos os profissionais contábeis.    

        O 11º SGESP é promovido pela Associação das Secretarias Municipais de Finanças do Estado de São Paulo (Assefin-SP) com o apoio do CRCSP, Receita Federal do Brasil, Secretaria do Tesouro Nacional (STN), Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP), Oficina Municipal e outras entidades.

        A programação completa do 11º SGESP e os links para inscrições já estão disponíveis na página do evento.

José Aparecido Maion

        O presidente do CRCSP, José Aparecido Maion, lembra que o 11º SGESP é uma oportunidade única de atualização e reforça a relevância dos temas tratados no evento: “o CRCSP apoia e participa do SGESP desde sua primeira edição, dada sua importância, especialmente para os profissionais da contabilidade que atuam na área pública. A qualidade técnica e a escolha dos temas da programação contribuem para o aumento da eficiência da administração pública. Parabenizo a Assefin, as entidades apoiadoras e nossos representantes do Conselho envolvidos na organização deste evento de alto nível”.

        Por outro lado, o presidente da ASSEFIN, Adriano Luiz Leocadio, Secretário de Finanças da cidade de Santos, disse que a entidade se sente gratificada em ter o CRC de São Paulo entre os parceiros do SGESP, entidade que dá muita importância à capacitação, principalmente com o cuidado que dedica ao Programa EPC, "de nossa parte, com os dezoito pontos atribuídos ao evento, os profissionais que participarem todos os dias já obtém 45% dos 40 pontos obrigatórios neste ano", comemora o Adriano.

Adriano Luiz Leocádio - presidente ASSEFIN
Foto: Raimundo Rosa/Prefeitura de Santos

    A contadora Elvira Godiva Junqueira, consultada sobre sua constante participação no seminário, explicou: "Eu sempre participei do seminário, desde o primeiro, ainda que não seja contadora pública tenho alunos que acabam migrando para esta área".  Godiva disse também que a pontuação é importante por muitas razões, "além dos 40 pontos que temos que fazer anualmente no CRC, serve também na atribuição de aulas e, em alguns casos, até para concursos ou admissão em empresas da área contábil", concluiu.

Elvira Godiva Junqueira

História

        As parcerias com os contadores paulistas e com a setor de contabilidade pública da Secretaria do Tesouro Nacional são as mais longevas do SGESP, tanto que, no início o evento se chamava Seminário Regional de Contabilidade Aplicada ao Setor Público - SRCASP. 

        Veja abaixo a participação dos representantes do CRC na primeira edição, em 2012, a organização contou com a colaboração das organizações contábeis da cidade de Ribeirão Preto e dos profissionais que exerciam funções diretivas, os contadores José Augusto Picão (na parte superior da foto Evidência abaixo), hoje conselheiro do CRC, José Marcelo Corrêa (E) e Marcio Minoru Garcia Takeuchi (D). O Seminário, quando em versão presencial é realizado na Universidade Estácio, em Ribeirão Preto, SP.



        Tabela de Pontuações Programa EPC




Cronologia das Palestras

Ficha técnica:

Dia 22/7/2022 - das 9 às 12 horas

Site do evento: https://www.sgesp.com.br/

Inscrições: para certificados

Detalhes dos painéis diários: Blog com últimas notícias

Link para assistir no Youtube

Link para assistir e pontuar EPC no CRC-SP

Detalhes em todos os dias:

(link esta na data)

19/07  Abertura com dirigentes fazendários e autoridades municipalistas

20/07  ​​​​​​A Contabilidade Aplicada ao Setor Público em frequente evolução

21/07  Receita Federal do Brasil - Colaboração e intercâmbio com os municípios

22/07 – Tribunal de Contas de SP - Controle - Auditoria - Transparência

26/07 – Oficina Municipal - A força da cooperação regional na gestão pública

27/07 – O Controle Social e o cidadão

28/07 – A revolução digital no serviço público

Fale conosco (*)assefinsp@gmail.com 
(*) Envie por aqui suas sugestões, dúvidas e, principalmente, perguntas antecipadamente, no dia elas serão respondidas

WhatsApp  16999623-2133

 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

11o SGESP - 20/7 - Contabilidade Pública terá SIAFIC, SICONFI e RPPS

Contabilidade Aplicada ao Setor Público  Nada evolui tanto na gestão pública como a área contábil, e nós sempre acompanhamos essas transformações. Entre tantos temas, certamente a fusão que será feita pelo SIAFIC estará em pauta  Breafing           A transparência pública, que tem como pilar o controle social, ou seja, o interesse do cidadão, tema central do seminário , será um dos temas amanhã do 11.o SGESP. Para isso a Secretaria do Tesouro criou um Ranking da Qualidade da Informação Contábil na transparência da gestão fiscal. Este tema - a transparência dos dados públicos, - voltará a ser discutido ao longo dos próximos 6 dias das palestras.            O painel será desenvolvido por  Leandro Moreira Souto,  Auditor Federal de Finanças e Controle da Secretaria do Tesouro Nacional, que é Coordenador de Transparência e Análise de Dados da Federação, da STN. SIAFIC      Leandro falará também sobre o Decreto 10.540 de 20020, que regula o  Sistema Único e Integrado de Execução Orçamentári

11.o SGESP terá mais de 30 painéis, veja a programação com detalhes

     Começou no último dia 19 de julho de 2022, e se estende até o dia 28, o  11.o SGESP - Seminário de Gestão Pública Fazendária, organizado pela ASSEFIN - Associação das Secretarias Municipais de Finanças do Estado de São Paulo. Serão 7 dias, considerando a abertura com entidades fazendárias e municipalistas que o apoiam, no dia 19, é totalmente virtual e gratuito, sempre com 3 horas de duração, das 9 às 12 horas. Veja as entidades que o apoiam e toda a programação com todos os detalhes nos links que oferecermos no fim desta matéria.      O SGESP é notório por suas parcerias, começando pelo Conselho Regional de Contabilidade do Estado de SP, que o transmite, inclui e pontua no seu Programa de Educação Continuada - PEPC, e conta também com o setor de Contabilidade Pública da Secretaria do Tesouro Nacional, Receita Federal do Brasil, Tribunal de Contas do Estado de SP e a Oficina Municipal, com a alemã Fundação Konrad Adenauer.       Este ano ele contará com 31 palestras que transitam

11o SGESP - 19/7 - Abertura

Abertura com autoridades e entidades municipalistas    O tema do SGESP este ano é Excelência dos Serviços Fazendários – Por uma gestão pública voltada aos interesses sociais.     Os procedimentos para o atendimento ao cidadão foram muito modificados pela pandemia, principalmente nas áreas fazendárias, da educação e da saúde. Na saúde a explosão do atendimento na pandemia, a educação abriu um hiato de 2 anos para nossas crianças, e, na área fazendária, muitos mecanismos novos surgiram, o principal foi a interrupção do atendimento presencial.     Essa interrupção afeta ao contribuinte e ao seu maior representante na área tributária, o contador, é este profissional e suas profissões derivadas que não só escrituram todos os fenômenos, como também o representa cidadãos e empresas nas repartições. Agora cabe estudarmos e nos adaptarmos ao que teve de bom no crescimento do atendimento online, mas não inibirmos o atendimento presencial, quando necessário.   Por outro lado, o cidadão, que teve