Pular para o conteúdo principal

11o SGESP - 26/7 - Oficina - A cooperação nos municípios

​​​​​​​A Força da Cooperação Regional
na Gestão Pública

        Após hiatos causados por fatos inesperados, como a pandemia, são necessárias ações de adaptação e recuperação. Setores, como a educação e a saúde certamente foram os que mais sofreram, por isso merecem mais atenção. A gestão pública financeira tem papel fundamental nessas ações. Governos Municipais não conseguem dar conta dessa missão de forma isolada. Por meio dos consórcios públicos intermunicipais e de parcerias com institutos e fundações empresariais, cidades e regiões aprendem a construir novos modelos de trabalho, um hibridismo institucional que contextualiza novos paradigmas da governança pública. 

Coordenação e Moderação

José Mario Brasiliense Carneiro

        Doutor e Mestre em Administração Pública e Governo (EAESP-FGV), Advogado (USP). Diretor e Fundador da Oficina Municipal, escola de cidadania e gestão pública.

Painel 1

Câmaras Técnicas Tributárias em consórcios intermunicipais: Padronização e identidade regional nos processos de fiscalização tributária


Início – 9h10
Término – 9h40 
Perguntas até 9h55

Eder Brito

    Mestre em Administração Pública (Korea University), Mestre em Gestão de Políticas Públicas (EACH-USP). Coordenador de Projetos da Oficina Municipal desde 2012.


Painel 2

Câmaras Técnicas de Educação em consórcios intermunicipais:
O fortalecimento da gestão regional como vetor de integração entre finanças e educação

Início – 10h05
Término – 10h45 
Perguntas até 10h50
Raphaella Burti
 
        Gestora de Políticas Públicas (EACH-USP), Master em Liderança e Gestão Pública (CLP), Coordenadora de projetos da Oficina Municipal.

Painel 3

Parceria pela Valorização da Educação:
Como empresas e prefeituras podem trabalhar juntas no fortalecimento da eficiência da gestão municipal

Início – 11h05
Término – 11h45 
Perguntas até 11h50

Guilherme Melo de Freitas

Mestre em Ciências Sociais (FFLCH-USP), Doutorando em Educação (FE-USP). Coordenador de Projetos da Oficina Municipal.


Ficha técnica:

Dia 28/7/2022 - das 9 às 12 horas

Site do evento: https://www.sgesp.com.br/

Inscrições: para certificados

Detalhes dos painéis diários: últimas notícias e resumo de todos assuntos

Link para assistir no Youtube

Link para assistir e pontuar EPC no CRC-SP

Detalhes da pontuação 
EPC aqui.

Detalhes em todos os dias:

(link esta na data)

19/07  Abertura com dirigentes fazendários e autoridades municipalistas

20/07  ​​​​​​A Contabilidade Aplicada ao Setor Público em frequente evolução

21/07  Receita Federal do Brasil - Colaboração e intercâmbio com os municípios

22/07 – Tribunal de Contas de SP - Controle - Auditoria - Transparência

26/07 – Oficina Municipal - A força da cooperação regional na gestão pública

27/07 – O Controle Social e o cidadão

28/07 – A revolução digital no serviço público

Fale conosco (*)assefinsp@gmail.com 
(*) Envie por aqui suas sugestões, dúvidas e, principalmente, perguntas antecipadamente, no dia elas serão respondidas

WhatsApp  16999623-2133

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

11o SGESP - 20/7 - Contabilidade Pública terá SIAFIC, SICONFI e RPPS

Contabilidade Aplicada ao Setor Público  Nada evolui tanto na gestão pública como a área contábil, e nós sempre acompanhamos essas transformações. Entre tantos temas, certamente a fusão que será feita pelo SIAFIC estará em pauta  Breafing           A transparência pública, que tem como pilar o controle social, ou seja, o interesse do cidadão, tema central do seminário , será um dos temas amanhã do 11.o SGESP. Para isso a Secretaria do Tesouro criou um Ranking da Qualidade da Informação Contábil na transparência da gestão fiscal. Este tema - a transparência dos dados públicos, - voltará a ser discutido ao longo dos próximos 6 dias das palestras.            O painel será desenvolvido por  Leandro Moreira Souto,  Auditor Federal de Finanças e Controle da Secretaria do Tesouro Nacional, que é Coordenador de Transparência e Análise de Dados da Federação, da STN. SIAFIC      Leandro falará também sobre o Decreto 10.540 de 20020, que regula o  Sistema Único e Integrado de Execução Orçamentári

11.o SGESP terá mais de 30 painéis, veja a programação com detalhes

     Começou no último dia 19 de julho de 2022, e se estende até o dia 28, o  11.o SGESP - Seminário de Gestão Pública Fazendária, organizado pela ASSEFIN - Associação das Secretarias Municipais de Finanças do Estado de São Paulo. Serão 7 dias, considerando a abertura com entidades fazendárias e municipalistas que o apoiam, no dia 19, é totalmente virtual e gratuito, sempre com 3 horas de duração, das 9 às 12 horas. Veja as entidades que o apoiam e toda a programação com todos os detalhes nos links que oferecermos no fim desta matéria.      O SGESP é notório por suas parcerias, começando pelo Conselho Regional de Contabilidade do Estado de SP, que o transmite, inclui e pontua no seu Programa de Educação Continuada - PEPC, e conta também com o setor de Contabilidade Pública da Secretaria do Tesouro Nacional, Receita Federal do Brasil, Tribunal de Contas do Estado de SP e a Oficina Municipal, com a alemã Fundação Konrad Adenauer.       Este ano ele contará com 31 palestras que transitam

11o SGESP - 19/7 - Abertura

Abertura com autoridades e entidades municipalistas    O tema do SGESP este ano é Excelência dos Serviços Fazendários – Por uma gestão pública voltada aos interesses sociais.     Os procedimentos para o atendimento ao cidadão foram muito modificados pela pandemia, principalmente nas áreas fazendárias, da educação e da saúde. Na saúde a explosão do atendimento na pandemia, a educação abriu um hiato de 2 anos para nossas crianças, e, na área fazendária, muitos mecanismos novos surgiram, o principal foi a interrupção do atendimento presencial.     Essa interrupção afeta ao contribuinte e ao seu maior representante na área tributária, o contador, é este profissional e suas profissões derivadas que não só escrituram todos os fenômenos, como também o representa cidadãos e empresas nas repartições. Agora cabe estudarmos e nos adaptarmos ao que teve de bom no crescimento do atendimento online, mas não inibirmos o atendimento presencial, quando necessário.   Por outro lado, o cidadão, que teve