Pular para o conteúdo principal

10.o SGESP - 22/7 - RFB - Colaboração e intercâmbio com os municípios

    No dia 22/7/2021 - o 10.o SGESP mais uma vez contará dirigentes da Receita Federal do Brasil, auditores-fiscais, que sempre abordam temas que envolvem os municípios brasileiros, principalmente em forma de parceria.

Adriano Pereira Subirá (Moderador)


Auditor Fiscal da Receita Federal
Na RFB desde fev/93
Mestrado em Administração Tributária pela UNED Espanha
Consultor externo do FMI
Chefe da ASCIF/RFB - Relações Institucionais da Receita Federal

Tema:

Conformidade Cooperativa, e a experiência da Receita Federal com a Conformidade Tributária

Flávio Vilela Campos

Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, atualmente na gerência dos projetos de “Gerenciamento de Riscos de Conformidade – GRC” e de “Conformidade Cooperativa Fiscal – Confia” da Receita Federal do Brasil

Tema: 

Cadastro Imobiliário Brasileiro (CIB)

José Renato Alves Gomes

Pós-graduado em redes de computadores pela Universidade Federal do Pará.
Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil desde o ano 2002.
Chefiou unidades como Inspetor em Porto de Santana/AP, Delegado-Adjunto em Belém/PA, e Divisão de Repressão ao Contrabando e Descaminho na 2ªRF (Amazônia).
Desde 2019 é o Gerente Nacional do Projeto SINTER - Sistema Nacional de Gestão de Informações Territoriais.

Tema: 

SISOBRAPREF e outros assuntos relativos a obras

Marcos Jonck

Equipe Nacional de Cobrança de Obras da RFB

Delegacia da Receita Federal em Maringá/PR

Superintendência Regional da RFB na 9ª Região Fiscal (PR e SC)

Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil

Analista-Tributário da RFB desde 2004. Responsável pela Equipe do SISOBRAPREF dentro da Equipe de EOBRA NACIONAL e também responsável pelo Fale Conosco no tema e atualizações de Perguntas e respostas inerentes – dando suportes aos gestores Municipais na questão. É do quadro da DRF/Joinville e exerce as suas funções na DRF/Maringá.

Tema: 

Obrigações Tributárias dos Municípios para com a Receita Federal

Vânio Stang Buss 

EOPP09 – Equipe de Atendimento aos Órgãos do Poder Público

Delegacia da Receita Federal em Maringá/PR

Superintendência Regional da RFB na 9ª Região Fiscal (PR e SC)

Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil

Vânio Stang Buss é Auditor Fiscal da RFB, da DRF de Florianópolis/SC e em Exercício na DRF de Maringá/PR.

Profundo conhecedor no trato do acompanhamento dos órgãos do poder público com ótima experiência – dando suporte aos gestores Municipais na questão.


Ficha técnica:

Dia 22/7/2021 - das 9 às 12 horas

Site do evento: https://www.sgesp.com.br/

Inscrições: para certificados

Detalhes dos painéis diários: Blog com últimas notícias

Link para assistir no Youtube

Link para assistir no Facebook

Fale conosco: assefinsp@gmail.com 

Detalhes em todos os dias (link na data):

20/07 - Abertura com dirigentes fazendários e autoridades municipalistas

21/07 - A gestão eficaz e integrada da Contabilidade Pública

22/07 - Receita Federal do Brasil - Colaboração e intercâmbio com os municípios

23/07 – A proteção dos dados públicos e a prestação de contas do 3.o Setor

28/07 – A força da cooperação regional na gestão pública

29/07 – A gestão municipal nos controles internos, regimes de compras públicas e ferramentas de transparência

30/07 – A importância do Código Tributário para uma gestão moderna e eficiente

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Contabilidade: STN divulga ranking municipal de atendimento ao SICONFI

Café da Manhã discutirá o sistema          A ASSEFIN - através de seu Grupo de Contabilidade Pública marcou para o dia 11/12 - às 8h30 um Café da Manhã com Renato Pucci, Coordenador-Geral do setor de contabilidade pública da Secretaria do Tesouro Nacional.          O objetivo será de entender melhor o sistema de ranqueamento dos municípios para que cada um possa perseguir um lugar melhor e as perguntas deverão ser enviadas antecipadamente, já que deverá ser um evento bem rápido. Faça a sua inscrição O ranking dos municípios no SICONFI           A Secretaria do Tesouro Nacional recepciona dos entes da Federação dados fiscais e contábeis para formar o Sistema de Informações Contábeis e Fiscais do Setor Público Brasileiro, o Siconfi. Até agora apenas os estados vinham sendo avaliados na presteza e qualidade dessas informações medidas, mas chegou a vez dos municípios.           Foi publicado hoje, nesse sentido, um ranking da performance dessas informações de todos os municípios brasileiro

Sistemas de contabilidade serão únicos em dois anos: Prefeituras - Câmaras - Autarquias

Link para se inscrever no evento: https://forms.gle/hFQda3fQN1pjNoRRA      Em 2 anos, todo o sistema de controle contábil (programas) dos entes envolvidos no Orçamento Fiscal (prefeitura, câmara municipal, autarquias e sistema previdenciário) terão que ser unificados      Será um sistema contábil único - é o SIAFIC - existe um decreto presidencial reforçando isso - a ideia já existia, mas agora tem datas, a motivação está na LRF      Até maio de 2021 as Prefeituras (por consequência os demais entes) terão que ter um programa da ação para cumprimento disso nos próximos 2 anos      Pelo tamanho e complexidade do serviço, é bom que o planejamento já se inicie, é o que vamos ouvir no dia 26/11, mais conhecido como quinta-feira agora, às 9h30      A Secretaria do Tesouro, que coordena este trabalho, estará representada por Leandro Souto, ele participa do planejamento dessa ação junto com os Tribunais de Contas. Outros profissionais muito ligados à esta área darão sua colaboração. Formas de

SIAFIC - Comitê Gestor: Sistema Único é um software!

Aponte ^ a câmera do seu celular no  QR Code  (ou clique na figura) e participe! Como participar do Café da Manhã: 1. Para receber certificado: Inscrição 2. Para assistir: Youtube  - Facebook SIAFIC: Comitê Gestor firma entendimento de Sistema Único: ele é um software !         Desde o ano 2000, com a edição da Lei de Responsabilidade Fiscal (LC 101/2000) existe uma palavra de ordem para os entes da Federação:  transparência  nas informações! O fundamento principal é a " liberação ao pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira, em meios eletrônicos de acesso público".         Em 2009 aparece um conceito complementar à transparência dos gastos públicos para os entes da Federação, o de que também devem incentivar audiências públicas, o da adoção de um  sistema integrado  e que tenha um  padrão mínimo de qualidade .            Desta forma, foi editado o Decreto n.o 7.186 de 27/5/2010, o