Pular para o conteúdo principal

Com 4 novas cidades, ASSEFIN reúne 319 municípios em SP

Adriano Luiz Leocadio fala sobre ASSEFIN (foto Carlos Lopez)

    Quatro novas cidades solicitaram filiação à Associação das Secretarias Municipais do Estado de SP, a ASSEFIN-SP, são elas Franca, Ilhabela, Viradouro e Votuporanga, com isso, considerando que cidades com menos de 10 mil habitantes não precisam contribuir, a entidade atende diretamente 319 municípios.

    O prefeito de Franca, Alexandre Augusto Ferreira, enviou à Câmara Municipal daquela cidade, projeto de lei que, além de incluir no orçamento deste ano a contribuição, alterou o Plano Plurianual - PPA e a Lei de Diretrizes Orçamentárias - LDO, criando um rubrica para a ASSEFIN. Aprovada por unanimidade pelos vereadores a Lei ganhou o n.o 9.117, sendo publicada em 10 de dezembro de 2021. Veja a lei na íntegra


    Adriano Leocadio, presidente da entidade, disse ontem (28/12) que fica feliz com as novas adesões, "a ASSEFIN, além de fomentar um bom relacionamento entre os profissionais de finanças dos municípios paulistas, investe bastante na capacitação dos servidores públicos", argumentando que essas atividades serão ampliadas no ano que vem, "inclusive com a inauguração de um portal de Internet, que será de grande valia para as nossas associadas", explicou.

    O presidente lembrou também que todos os serviços prestados pela associação são gratuitos e que tem muita honra de colocá-los à disposição das cidades com menos de 10 mil habitantes, "são mais de 40% dos municípios paulistas que têm as mesmas obrigações das cidades médias e grandes, mas nem sempre contam com a possibilidade e recursos para montar grandes equipes, com grandes recursos", conclui Adriano, que é o Secretário de Finanças de Santos.

    Ronaldo Martins Santana, do município de Ilhabela, disse hoje (29) que a cidade se sentiu motivada a se filiar à ASSEFIN, "principalmente pelo apoio no período da pandemia, os comunicados, eventos e e-mails sempre nos ajudam na atualização da legislação que afetam os entes municipais", diz o contador.

   A ASSEFIN tem feito em média um evento por mês para suas associadas, entre workshops, cursos e transmissões virtuais, muitos deles abertos a todos profissionais fazendários do país, e deve voltar a ministrar cursos presenciais em 2022, já em estudo um para o início do ano que vem.

Novo Fundeb

Veja os comentários, a nova Lei do FUNDEB sancionada no último dia 27/12/2021 e as razões do veto à transferência entre contas bancárias desses recursos:

https://assefinsp.blogspot.com/2021/12/congresso-muda-fundeb-e-envia-sancao-da.html

1.o Café da Manhã de 2022 terá check list

     Já está marcado para 25 de janeiro de 2022 o primeiro Café da Manhã Digital pela ASSEFIN. Considerando que os entes municipais terão até 14 de fevereiro para enviar os dados contábeis para os órgãos fiscalizadores, principalmente para Secretaria do Tesouro Nacional e para os Tribunais de Contas, técnicos alertarão sobre os cuidados desse envio.

    O evento será conduzido por Renato Pucci, que é Coordenador Geral de Normas de Contabilidade Aplicada à Federação, da STN, e terá a participação de Débora Tristão, professora e Contadora Auxiliar Técnico de Fiscalização do Tribunal de Contas do Estado de SP, hoje autuando na AUDESP - Auditoria Eletrônica de Órgãos Públicos deste Tribunal.

    A preocupação dos organizadores é que a prestação de contas pelos entes públicos às vezes contém erros repetitivos, o que pode afetar a sua colocação no ranking da STN, podendo até determinar a fiscalização pelos tribunais. Os alertas serão feitos nesse sentido.

    

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10.o SGESP - 20/7 - Abertura

         A abertura do 10.o SGESP ocorreu n o dia 20/7/2021, às 9 horas, com a presença de titulares de  entidades municipalistas e fazendárias.            Este ano o tema do seminário foi A Gestão Fazendária na Era Digital, assunto que não se esgotará tão cedo tendo em vista o estágio de nossos municípios, principalmente tendo enfrentado uma enorme crise na saúde, que ainda não se findou.          Todos os que participaram foram unânimes, a Era Digital já está aí, será o fim do papel, das filas em guichês e o avanço da inteligência artificial, ajudando os contribuintes, os cidadãos, mas, principalmente os servidores públicos que, ao invés de executarem seus serviços de forma automática, passarão a atuar na ciência e modernização de suas funções, sem perder a humanização.          Estamos longe? Pode ser, mas não podemos ignorar - o digital já chegou!          Especificamente na abertura, como ocorre t radicionalmente nos nossos eventos, os convidados da ASSEFIN apresentaram também as

SIAFIC - Comitê Gestor: Sistema Único é um software!

Aponte ^ a câmera do seu celular no  QR Code  (ou clique na figura) e participe! Como participar do Café da Manhã: 1. Para receber certificado: Inscrição 2. Para assistir: Youtube  - Facebook SIAFIC: Comitê Gestor firma entendimento de Sistema Único: ele é um software !         Desde o ano 2000, com a edição da Lei de Responsabilidade Fiscal (LC 101/2000) existe uma palavra de ordem para os entes da Federação:  transparência  nas informações! O fundamento principal é a " liberação ao pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira, em meios eletrônicos de acesso público".         Em 2009 aparece um conceito complementar à transparência dos gastos públicos para os entes da Federação, o de que também devem incentivar audiências públicas, o da adoção de um  sistema integrado  e que tenha um  padrão mínimo de qualidade .            Desta forma, foi editado o Decreto n.o 7.186 de 27/5/2010, o

IRRF injetará milhões na arrecadação municipal

            Bate-papo com secretários de finanças às 17 h dia 27-10           Após a decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal, no julgamento do Recurso Extraordinário com Repercussão Geral n.o 1.293.453 e na Ação Cível Originária no 2897, foi declarada  constitucional a incidência e a arrecadação do Imposto de Renda Retido na Fonte pelos municípios, estados e DF, sobre todos os pagamentos .         Duas coisas são importantes e merecem os grifos que fizemos acima, a repercussão geral , ou seja, o julgamento não atende só o município que apelou, e é i ncorporada à arrecadação municipal , todas as retenções na fonte de imposto de renda, não só pela incidência sobre o pagamento aos servidores, na folha de pagamento, mas também pelo que for pago aos fornecedores e prestadores de serviços.          A Receita Federal do Brasil vinha autuando os municípios que não repassavam o produto da arrecadação deste tributo, inclusive negando certidão negativa, entendendo que só o que era