Pular para o conteúdo principal

Contadores de entidades públicas serão reunidos em grupo na ASSEFIN



            Em pesquisa realizada, 84 servidores já registraram a intenção de participar (70) ou colaborar (14) com Grupo ASSEFIN-CASP, que pretende ter a função de discutir e apresentar soluções no âmbito da contabilidade aplicada ao setor público. A Associação das Secretarias Municipais de Finanças do Estado de SP vai reuni-los virtualmente no dia 17/9, às 17 horas, quando estarão presentes em apoio autoridades da área. 

            Dos pesquisados, 7 são de 6 outros estados, que poderão participar como convidados, mas um dos objetivos da entidade já foi alcançado, profissionais de 55 cidades do Estado de SP já declaram sua intenção de participar do GA-CASP.

Mais de 50% são contadores de prefeituras

            Um outro ponto que chama a atenção na pesquisa é que 44 servidores são contadores das suas prefeituras, o que dará uma uniformidade no grupo. 
Nos demais pesquisados (40) há contadores de autarquias, câmaras municipais e iniciativa privada (prestadores de serviço em empresas públicas), docentes, pesquisadores, responsáveis de áreas afins, como controladoria, tesouraria, orçamento, planejamento, alunos, entre outros.
            Os organizadores disseram que ainda continuarão com a pesquisa até terça (8) e, no dia 9, começarão a divulgar as formas de participação na inauguração do Grupo ASSEFIN-CASP, que terão o Zoom e o Youtube como plataformas. 

Apoio

            A criação do grupo já conta com apoios formais e informais de entidades ligadas à contabilidade pública do Brasil, caso da CCONF da STN, que coordena as normas contábeis no setor público do Brasil, e também de diversos integrantes do CTCONF, a Câmara Técnica de Normas Contábeis, que subsidia a STN no assunto.
            Da mesma forma o Conselho Regional de Contabilidade - CRC-SP, o Tribunal de Contas-TCE-SP e o GEPGL - Grupo de Estudos e Pesquisas em Governos Locais - formado por docentes de todo o Brasil, especializados nas áreas de controller, inclusive a contábil, composto de servidores de prefeituras das capitais, de governos estaduais, do tribunais de contas de todo o Brasil, entre outros.

Como participar

            Para participar, ou indicar o contador da sua prefeitura, autarquia ou Câmara Municipal é necessário, primeiro, responder a pesquisa abaixo. Para essas pessoas enviaremos os links:


Veja as cidades que já se inscreveram 

Alvorada d’Oeste 

Americana

Amparo

Apucarana

Aracaju

Araraquara

Atibaia

Bauru

Belém

Bom Sucesso de Itararé

Boraceia

Botucatu

Campinas

Catanduva

Contagem

Cravinhos

Curitiba

Elias Fausto

Florinea

Franca

Guariba

Guarujá

Iracemápolis

Irapuã

Jaguariúna

João Pessoa

Lorena

Luiz Antônio

Matão

Mococa

Nova Europa

Nuporanga

Palmares Paulista

Paranapanema

Paulínia

Poá

Ribeirão Preto

Rio Claro

Salto

Santa Cruz do Rio Pardo

Santa Gertrudes

Santo André

Santo Antônio da Platina

São Carlos

São Paulo 

São Vicente

Serra Azul

Sertãozinho

Sorocaba

Taboão da Serra

Tapiratiba

Torre de Pedra

Tupi Paulista

Turmalina

Ubatuba

Valparaíso de Goiás 

Vista Alegre do Alto



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10.o SGESP - 20/7 - Abertura

         A abertura do 10.o SGESP ocorreu n o dia 20/7/2021, às 9 horas, com a presença de titulares de  entidades municipalistas e fazendárias.            Este ano o tema do seminário foi A Gestão Fazendária na Era Digital, assunto que não se esgotará tão cedo tendo em vista o estágio de nossos municípios, principalmente tendo enfrentado uma enorme crise na saúde, que ainda não se findou.          Todos os que participaram foram unânimes, a Era Digital já está aí, será o fim do papel, das filas em guichês e o avanço da inteligência artificial, ajudando os contribuintes, os cidadãos, mas, principalmente os servidores públicos que, ao invés de executarem seus serviços de forma automática, passarão a atuar na ciência e modernização de suas funções, sem perder a humanização.          Estamos longe? Pode ser, mas não podemos ignorar - o digital já chegou!          Especificamente na abertura, como ocorre t radicionalmente nos nossos eventos, os convidados da ASSEFIN apresentaram também as

SIAFIC - Comitê Gestor: Sistema Único é um software!

Aponte ^ a câmera do seu celular no  QR Code  (ou clique na figura) e participe! Como participar do Café da Manhã: 1. Para receber certificado: Inscrição 2. Para assistir: Youtube  - Facebook SIAFIC: Comitê Gestor firma entendimento de Sistema Único: ele é um software !         Desde o ano 2000, com a edição da Lei de Responsabilidade Fiscal (LC 101/2000) existe uma palavra de ordem para os entes da Federação:  transparência  nas informações! O fundamento principal é a " liberação ao pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira, em meios eletrônicos de acesso público".         Em 2009 aparece um conceito complementar à transparência dos gastos públicos para os entes da Federação, o de que também devem incentivar audiências públicas, o da adoção de um  sistema integrado  e que tenha um  padrão mínimo de qualidade .            Desta forma, foi editado o Decreto n.o 7.186 de 27/5/2010, o

IRRF injetará milhões na arrecadação municipal

            Bate-papo com secretários de finanças às 17 h dia 27-10           Após a decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal, no julgamento do Recurso Extraordinário com Repercussão Geral n.o 1.293.453 e na Ação Cível Originária no 2897, foi declarada  constitucional a incidência e a arrecadação do Imposto de Renda Retido na Fonte pelos municípios, estados e DF, sobre todos os pagamentos .         Duas coisas são importantes e merecem os grifos que fizemos acima, a repercussão geral , ou seja, o julgamento não atende só o município que apelou, e é i ncorporada à arrecadação municipal , todas as retenções na fonte de imposto de renda, não só pela incidência sobre o pagamento aos servidores, na folha de pagamento, mas também pelo que for pago aos fornecedores e prestadores de serviços.          A Receita Federal do Brasil vinha autuando os municípios que não repassavam o produto da arrecadação deste tributo, inclusive negando certidão negativa, entendendo que só o que era