Pular para o conteúdo principal

Envio de dados contábeis: ASSEFIN fará Café da Manhã dia 25/1

Começou dia 12/1 o envio de dados ao TCE-AUDESP


    Antes da publicação do balanço de 2021 as prefeituras, e os demais entes públicos, precisam enviar os dados que o compõem separadamente aos órgãos fiscalizadores, desde novembro passado o Tribunal de Contas do Estado de SP (AUDESP) já tem publicado o calendário para este serviço, que começou no dia 12/1.

     Pensando nisso, a ASSEFIN - Associação das Secretarias Municipais do Estado de SP, promoverá um Café da Manhã Virtual no dia 25/1, às 9 horas, com o Coordenador de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação da Subsecretaria de Contabilidade Pública (CCONF) da Secretaria do Tesouro Nacional - STN, Renato Pucci, que contará também com a participação e moderação das perguntas da professora Débora Geórgia Tristão, que é do Tribunal de Contas do Estado de SP, atuando hoje na AUDESP - Divisão de Auditoria Eletrônica daquela corte.

    Pelo lado previdenciário participarão Allex Albert Rodrigues, Miguel Antonio Fernandes Chaves e Laura Schwerz. Allex Rodrigues é Subsecretário dos Regimes Próprios de Previdência Social da Secretaria de Previdência do Ministério do Trabalho e Previdência, e terá a colaboração de Miguel Chaves, que é Coordenador-Geral de Auditoria e Contencioso da Subsecretaria dos Regimes Próprios de Previdência Social e Presidente da Comissão do Pró-Gestão RPPS, e Laura, que é Coordenadora-Geral de Estruturação de Informações Previdenciárias.

     O formato do evento já é conhecido dos contadores públicos, os apresentadores trazem o seu material em forma de alertas e esclarecimentos, que são imediatamente ilustrados com respostas às perguntas que chegam previamente, através de uma pesquisa feita pela ASSEFIN (veja abaixo), e em real time através dos participantes nas plataformas de transmissão, caso da Zoom, do Youtube e do Facebook. O evento será totalmente aberto ao público em geral.

Serviço:

Café da Manhã Virtual sobre o envio de dados contábeis de 2021

Dia 25 de janeiro de 2022 - às 9 horas, duração 1h30

Participação de Renato Pucci (CCONF-STN),  Débora G Tristão (AUDESP-TCESP), Allex Rodrigues, Miguel Chaves e Laura Schwerz (SRPPS/SPREV-MTP)

Perguntas antecipadas e inscrição ao evento:
https://forms.gle/yhth14UPDJGAjChA9

Assistir pela rede social abaixo:
Youtube
Facebook

Instruções n.o 01/20220 <- clique para saber todas as informações exigidas pelo TCESP

Comunicado SDG n.o 54/2021calendário de obrigações do Sistema Audesp  (instrução acima).

Notícia do envio de dados <- notícia do TCESP sobre o assunto


Curriculo dos palestrantes

Débora Geórgia Tristão - Responsável pelas perguntas 




Tutora - FECAP - Mestranda em Gestão Publica - FGV - Equipe AUDESP - TCE-SP



Renato Pucci - Palestrante e Moderador

 

Graduado em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasília – UnB e Especialista em Finanças Públicas pela Escola Nacional de Administração Pública – ENAP. Auditor Federal de Finanças e Controle da Secretaria do Tesouro Nacional, onde atualmente exerce o cargo de Coordenador de Normas de Contabilidade Aplicadas à Federação da Subsecretaria de Contabilidade Pública da Secretaria do Tesouro Nacional. Membro do Grupo Assessor das Normas Brasileiras de Contabilidade Aplicadas ao Setor Público, do Conselho Federal de Contabilidade – CFC.


Allex Albert Rodrigues  

Cargo: Auditor-Fiscal da Receita-Federal do Brasil desde 1998, atua com regimes próprios desde 2005. Coordenador-Geral de Atuária, Contabilidade e Investimentos de 2012 a 2018. 

Função: Subsecretário dos Regimes Próprios de Previdência Social da Secretaria de Previdência do Ministério do Trabalho e Previdência.

Formação: Bacharel em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG e em Direito pela Universidade Federal do Espírito santo – UFES. Especialista em Ciências Atuariais e Demografia pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte – UFRN e En Técnicas Actuariales y Financieras de la Previsión Social - FUNDACIÓN CEDDET.

Miguel Antonio Fernandes Chaves 

Cargo: Auditor-Fiscal da Receita Federal do Brasil, com atuação na auditoria direta dos RPPS de Estados e Municípios, no período 01/2006 a 03/2017. 

Função: Coordenador-Geral de Auditoria e Contencioso da Subsecretaria dos Regimes Próprios de Previdência Social – SRPPS/SPREV-MTP a partir de 04/2017 e Presidente da Comissão do Pró-Gestão RPPS.

Formação: Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Federal do Maranhão – UFMA; Especialista em Demografia e Ciências Atuariais – Universidade Federal do Rio Grande do Norte.


Laura Schwerz

Graduada em Administração Pública pela Universidade de Santa Catarina, servidora de cargo efetivo em exercício no INSS desde 02/ 1985. A partir de 05/2014 cedida para exercer o cargo em comissão de Coordenadora Geral na atual Subsecretaria dos Regimes Próprios de Previdência Social/SRPPS da Secretaria de Previdência do Ministério do Trabalho e Previdência. A frente da coordenação de diversos projetos no INSS e Secretaria de Previdência com destaque o da estruturação do Cadastro Nacional de Informações Sociais – CNIS, concepção e desenvolvimento do Sistema de Informações de Registros Civis-SIRC e desde 2011 no projeto eSocial,  na concepção das regras dos trabalhadores vinculados ao Regime Geral de Previdência Social –RGPS e desde 2014 voltado aos Órgãos Públicos, com destaque quanto as regras dos servidores da esfera federal, estadual, do Distrito Federal e dos municípios vinculados ao Regime Próprio de Previdência Social-RPPS, além da estruturação dos Sistemas GESCON-RPPS, SIG-RPPS e evoluções para modernização do CADPREV.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10.o SGESP - 20/7 - Abertura

         A abertura do 10.o SGESP ocorreu n o dia 20/7/2021, às 9 horas, com a presença de titulares de  entidades municipalistas e fazendárias.            Este ano o tema do seminário foi A Gestão Fazendária na Era Digital, assunto que não se esgotará tão cedo tendo em vista o estágio de nossos municípios, principalmente tendo enfrentado uma enorme crise na saúde, que ainda não se findou.          Todos os que participaram foram unânimes, a Era Digital já está aí, será o fim do papel, das filas em guichês e o avanço da inteligência artificial, ajudando os contribuintes, os cidadãos, mas, principalmente os servidores públicos que, ao invés de executarem seus serviços de forma automática, passarão a atuar na ciência e modernização de suas funções, sem perder a humanização.          Estamos longe? Pode ser, mas não podemos ignorar - o digital já chegou!          Especificamente na abertura, como ocorre t radicionalmente nos nossos eventos, os convidados da ASSEFIN apresentaram também as

SIAFIC - Comitê Gestor: Sistema Único é um software!

Aponte ^ a câmera do seu celular no  QR Code  (ou clique na figura) e participe! Como participar do Café da Manhã: 1. Para receber certificado: Inscrição 2. Para assistir: Youtube  - Facebook SIAFIC: Comitê Gestor firma entendimento de Sistema Único: ele é um software !         Desde o ano 2000, com a edição da Lei de Responsabilidade Fiscal (LC 101/2000) existe uma palavra de ordem para os entes da Federação:  transparência  nas informações! O fundamento principal é a " liberação ao pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira, em meios eletrônicos de acesso público".         Em 2009 aparece um conceito complementar à transparência dos gastos públicos para os entes da Federação, o de que também devem incentivar audiências públicas, o da adoção de um  sistema integrado  e que tenha um  padrão mínimo de qualidade .            Desta forma, foi editado o Decreto n.o 7.186 de 27/5/2010, o

IRRF injetará milhões na arrecadação municipal

            Bate-papo com secretários de finanças às 17 h dia 27-10           Após a decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal, no julgamento do Recurso Extraordinário com Repercussão Geral n.o 1.293.453 e na Ação Cível Originária no 2897, foi declarada  constitucional a incidência e a arrecadação do Imposto de Renda Retido na Fonte pelos municípios, estados e DF, sobre todos os pagamentos .         Duas coisas são importantes e merecem os grifos que fizemos acima, a repercussão geral , ou seja, o julgamento não atende só o município que apelou, e é i ncorporada à arrecadação municipal , todas as retenções na fonte de imposto de renda, não só pela incidência sobre o pagamento aos servidores, na folha de pagamento, mas também pelo que for pago aos fornecedores e prestadores de serviços.          A Receita Federal do Brasil vinha autuando os municípios que não repassavam o produto da arrecadação deste tributo, inclusive negando certidão negativa, entendendo que só o que era