Pular para o conteúdo principal

ASSEFIN-SP sob nova direção, posse será amanhã (1) às 9h


        

        Toma posse nesta quinta-feira (1/4), às 9h, a nova diretoria executiva da Associação das Secretarias Municipais de Finanças do Estado de São Paulo, a ASSEFIN-SP. Assume como presidente Adriano Luiz Leocadio, Secretário de Finanças de Santos,  e, como presidente do conselho fiscal, João Carlos Gonçalves Zarantonelli, de Santa Cruz do Rio Pardo. Veja os demais diretores na foto anexa.

        A cerimônia será virtual, pelo sistema Zoom, mas também terá transmissão em tempo real pelas redes Youtube e Facebook, onde será possível interagir no momento (links abaixo).

        A entidade vinha sendo dirigida pelo ex-Secretário da Fazenda de Ribeirão Preto, Manoel de Jesus Gonçalves, ele afirma ter ficado muito satisfeito em ter podido alavancar a ASSEFIN-SP nos seus primeiros anos de existência, ela foi fundada em 24 de julho de 2019, mas vinha funcionando como Fórum de Secretários de Finanças, o Fórum SEFIN, desde 16 de maio de 2013.

        "A ASSEFIN cresceu cerca de 20% desde a sua fundação", explica Manoel, "procuramos manter a tradição do grupo, que tem ótimo relacionamento e troca de experiências, em fomentar a qualificação dos nossos servidores, através de cursos e seminários, entre outras atividades virtuais, já que as atividades presenciais, que também realizávamos, foram interrompidas como todas as outras."

        Manoel lembrou também que foram feitas muitas parcerias com outras entidades fazendárias e municipalistas, sendo que, segundo ele, a com a Frente Nacional dos Prefeitos, na área de precatórios, "não só foi muito ativa, como o grupo, que tem também procuradores municipais, está funcionando até hoje". 

        Já Adriano Leocádio,  disse que vai promover a interação dos profissionais das pastas finanças e fazendárias em geral; junto aos órgãos e entidades municipais, pretende reforçar parcerias para que a arrecadação municipal fique protegida. “O intuito é também ampliar a regionalização da entidade, motivando as grandes regiões administrativas e as metropolitanas para a uniformidade de pensamento fazendário das cidades do Estado, além de dar continuidade e ampliar as atividades de capacitação dos servidores públicos”, afirma o presidente eleito.

        No evento de posse serão entregues os títulos de Fundadores Históricos, ex-secretários de finanças que em 2013 fundaram o Fórum SEFIN. São eles (1) na primeira e segunda foto, Francisco Sérgio Nalini, de RIBEIRÃO PRETO;  (2) na primeira e segunda foto, Mary Brito Silveira ex-Secretária de SÃO JOSÉ DO RIO PRETO e hoje Secretária de Planejamento e Finanças de OLÍMPIA; (3)  Roberto Pereira, de ARARAQUARA, (4) na primeira e segunda foto; José Roberto Poianas ,de SÃO CARLOS; (5) Neide Aparecida Souza Lopes, de FRANCA; (6) Andréia Luciana Souza de Brito, de BARRETOS.

Fotos originais da 1.a e 2.a reuniões em 2013, veja mais em história




Serviço

Cerimônia de Posse da nova Diretoria ASSEFIN-SP
Dia 1-4-2021 - 9 horas

Para participar pelo Zoom solicite o link por aqui 
ou para a Secretaria-Executiva 16-9.9991.4000
Onde também é possível tirar as dúvidas

Para assistir

Youtube
https://youtu.be/RLlVN0k2BLo


Facebook
https://fb.me/e/5bywCE3vr




        

 

    

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

10.o SGESP - 20/7 - Abertura

         A abertura do 10.o SGESP ocorreu n o dia 20/7/2021, às 9 horas, com a presença de titulares de  entidades municipalistas e fazendárias.            Este ano o tema do seminário foi A Gestão Fazendária na Era Digital, assunto que não se esgotará tão cedo tendo em vista o estágio de nossos municípios, principalmente tendo enfrentado uma enorme crise na saúde, que ainda não se findou.          Todos os que participaram foram unânimes, a Era Digital já está aí, será o fim do papel, das filas em guichês e o avanço da inteligência artificial, ajudando os contribuintes, os cidadãos, mas, principalmente os servidores públicos que, ao invés de executarem seus serviços de forma automática, passarão a atuar na ciência e modernização de suas funções, sem perder a humanização.          Estamos longe? Pode ser, mas não podemos ignorar - o digital já chegou!          Especificamente na abertura, como ocorre t radicionalmente nos nossos eventos, os convidados da ASSEFIN apresentaram também as

SIAFIC - Comitê Gestor: Sistema Único é um software!

Aponte ^ a câmera do seu celular no  QR Code  (ou clique na figura) e participe! Como participar do Café da Manhã: 1. Para receber certificado: Inscrição 2. Para assistir: Youtube  - Facebook SIAFIC: Comitê Gestor firma entendimento de Sistema Único: ele é um software !         Desde o ano 2000, com a edição da Lei de Responsabilidade Fiscal (LC 101/2000) existe uma palavra de ordem para os entes da Federação:  transparência  nas informações! O fundamento principal é a " liberação ao pleno conhecimento e acompanhamento da sociedade, em tempo real, de informações pormenorizadas sobre a execução orçamentária e financeira, em meios eletrônicos de acesso público".         Em 2009 aparece um conceito complementar à transparência dos gastos públicos para os entes da Federação, o de que também devem incentivar audiências públicas, o da adoção de um  sistema integrado  e que tenha um  padrão mínimo de qualidade .            Desta forma, foi editado o Decreto n.o 7.186 de 27/5/2010, o

IRRF injetará milhões na arrecadação municipal

            Bate-papo com secretários de finanças às 17 h dia 27-10           Após a decisão proferida pelo Supremo Tribunal Federal, no julgamento do Recurso Extraordinário com Repercussão Geral n.o 1.293.453 e na Ação Cível Originária no 2897, foi declarada  constitucional a incidência e a arrecadação do Imposto de Renda Retido na Fonte pelos municípios, estados e DF, sobre todos os pagamentos .         Duas coisas são importantes e merecem os grifos que fizemos acima, a repercussão geral , ou seja, o julgamento não atende só o município que apelou, e é i ncorporada à arrecadação municipal , todas as retenções na fonte de imposto de renda, não só pela incidência sobre o pagamento aos servidores, na folha de pagamento, mas também pelo que for pago aos fornecedores e prestadores de serviços.          A Receita Federal do Brasil vinha autuando os municípios que não repassavam o produto da arrecadação deste tributo, inclusive negando certidão negativa, entendendo que só o que era